sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

emancipado dengo - na edição 7+7 - ADÃO E EVA da FlanZine



emancipado dengo
Adão Adão Adão
engraxado Adão
por que não encontro a palavra exata
menino
por quê essa vaga na caixa torácica
homem
o torvelinho que você me deixou
o gato a cuidar o torvelinho
o pássaro preso no olho do torvelinho
todas as gerações na pequena folha só
desgraçada
no olho do pássaro
Adão Adão Adão
pressurosamente Cleusa
Maria Afonso
Airton Valadão que
foi para a Tailândia retirar costelas e colocar
gordura das ancas na boca feliz
Adão
folhas que ainda ousam mexer o barro
homi
porquê cercadas de toda presença com a lua
e o sol em Adão
escreveria boas novas boas
novas sobre o berço de tudo Adão
enviaria a fruta em chagas
porque viver em Adão
por que Adão
perceba o paraíso jamé cresceria para casa
família bons costumes
porcelana piano e lustres magníficos
digo Adão
matéria para degradar sob o signo da cruz
santa a casa psiquiátrica de detenção
amor entre irmãos
roer as unhas enquanto não
lustres magníficos Adão
e já me perdi 69 gerações mais
não volte a me procurar
querido
a febre me atocha a ser recato com grades
salivo esta última com a esperança
volte nunca a me procurar
cheiroso
significante em chagas
unhas carcomidas
Adão Adão no olho do pássaro
pássaro preso no torvelinho olho
pressurosamente
gato
emancipado dengo
gracioso nervo
odiado irmão
tua sempre tua
concessionária em vão




com militodos agradecimentos ao João Pedro Azul! 
comprem este e qualquer outro número da FlanZine aqui





Nenhum comentário:

Postar um comentário