sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Londrix Apresenta: Sarau Carla Diacov )HOJE(




:D

"Carla Diacov tem raízes criativas na cidade de Londrina, onde se formou na primeira turma da Escola Municipal de Teatro e foi uma das fundadoras do TOU (Teatro Obrigatório Universal), realizou montagens memoráveis como ‘A Valsa Número 6’ (Nelson Rodrigues) e ‘A mais forte’ (August Strindberg).
Depois de se afastar do teatro, Carla passou a manter um blog e uma badalada página no TUMBLR, que ela alimenta constantemente com suas criações poéticas e visuais, destes trabalhos, surgiram 3 livros de poesias, 2 publicados em Portugal e um no Brasil.
O Sarau Carla Diacov é uma homenagem e uma celebração da obra da autora, que não estará presente, mas será muito bem representada por sua obra e um grupo de mulheres envolvidas na cena criativa da cidade de Londrina. Elis Regina Monteiro, Vivian Campos, Giovanna Triani, Thais Bastos Fernandes, Suy Correia, Mel Campus, Chris Vianna e Camila Fontes aceitaram com disposição a tarefa de apresentar ao público poemas publicados e inéditos da autora.
Além da leitura dos poemas, o evento terá uma exposição de fotos e obras da artista, além de discotecagem com as DJs Analua Ito, Silvia de Luca e Empório da Keiko (aka Katy Kakubo).

O Sarau acontece no dia 25/11, a partir das 9pm, no Cemitério de Automóveis, como parte da programação do Londrix, Festival Literario e a entrada é franca!"

Patrocínio do Festival Literário de Londrina - Londrix: PROMIC/MINISTÉRIO DA CULTURA/BIBLIOTECA NACIONAL
Apoio: GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ/SETI, UEL/PROEX, FUNDAÇÃO ARAUCÁRIA

Parceria: CULTURAL, RPC TV








segunda-feira, 14 de novembro de 2016

lhufas vão bem com vinho turvo





alguém diz que o dia é baldio
basta a vibração das palavras para
que um homenzinho
alimente o gato
corte os cabelos
acarinhe o pensamento sujo
de pássaros
basta a vibração
para
que o chão esteja
para que o chão receba o rosto e os joelhos
do corpo que cai com a visão
mandalas na radiação solar
basta o sol embutido nalgum sentido
do dia baldio para que
alguém comece a salgar a carne
lavar as folhas
alguém diz que o dia é baldio
alguém diz lhufas vão bem com vinho turvo
alguém com alguém passa 11 horas num
elevador entre o sexto e o sétimo piso
fazem um filho ou uma saída
o dia é baldio
alguém cai duro no sofá de bambu
alguém espera que o dia baldio acabe
então basta
esperar para que a noite chegue
inculta
cabendo a tudo
o dia na noite com salada
sujeira de pássaros
lhufas um filho uma saída