sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

MÚSICA PARA O ORIXÁ/ Ogum





um ano mais

é teu o ano
um ano arado todos os anos naquele dia
é teu o tempo é agora teu tempo
Ogum
Ogum
Ogum Ogum Ogum Ogum Ogum
todos os aros num ponto dessa terra
desce a manta metálica sobre o meu olho azul avermelhado
um ano e não mais
todos os aros nesse ano aquele dia
e acordar uma vez mais menor o macho sobre a ideia ferida e fêmea
e acordar uma vez mais menor o macho sobre a ideia ferida e fêmea
e acordar uma vez mais menor o macho sobre a ideia ferida e fêmea
Osin
Osin
Osin Osin Osin Osin Osin Imole
acossa o ferro o fígado a espinha acossa
guarda-la acarinha-la estanca da cara ferrolha a iniquidade
toda uma espada num profundo raso dessa ceifa


/da legitimada cegueira de Odudua festa e fios da cabeça do bode/

e batuca o ego achincalhando assim:
um ano arado todos os anos naquele olho
um ano ensartado todos os anos naquele olho
um ano imperador todos os anos naquele olho
um ano falado ao espelho todos os anos naquele olho
um ano de lindo todos os anos naquele olho
a cabeça do galo a cabeça do pombo e a do gato macho ainda na tua retina descoroada 
baldado cazumbi:


a lua na tua nuca na tua retina na minha vez. as fontes e as cadelas e as favelas da tua cidade: NOS ENTRINCHEIRAMOS ENTRE UM SINO E OUTRO. as estátuas feito armadilhas: um só pombo é capaz de saber: a estátua que nem armadilha. os portões que sustentam as casas mais antigas. vejo-me criança pendurada pelo pescoço na seta de ferro de um dos portões da tua cidade: me finjo de morta a lua na tua nuca na tua retina a casa cheia de gatos sorridentes. um só pombo chorando mágoas a carlosdrummond de andrade. tolera-se: SOU UMA MULHER DE LADOS: DESTE LADO O PRECIPÍCIO E DESTE LADO UM CAVALO RELINCHANDO MASSIVOS ALENTOS. demência! demência! mulheres dançando com árvores da tua cidade: COPULAR COM UMA ESTÁTUA EM ROMA. insanity! insanity!*















*(trecho de ninguém vai poder dizer que eu não disse – sobre os primeiros adornos – o festival da lua)


Nenhum comentário:

Postar um comentário