sexta-feira, 25 de julho de 2014

janelas para onde der – 7



.para um menino do mar.



quanto do tempo
daqui até o teu sexo
abrir jardins e fazer caminho de abelha vindo do mar

abrir um livro e penar sobre o teu pássaro
e não morrer ali

quanto do tempo
daqui até abrir
daqui até o teu rosto de pedra
correr a costa toda
é plano para cachorros e manhãs
é abertura para o bananal
é do mar e é meu também

a tua mão tem o tamanho do gesto dentro da minha boca.
abro a janela e rezo: quanto do tempo abrir.














§§§ 





Ah, sim! 




Também estou na leva de aniversário da Diversos Afins (Obrigada, Leila e Fabrício! Viva a Diversos Afins!) 




E na Coyote número 25/ Kan Editora (Obrigada aos meninos uivantes, Rodrigo Garcia Lopes, Marquinhos Losnak, Ademir Assunção)!
Distribuição nacional (BooksMania, Livraria Cultura, Livraria Saraiva, Livraria da Travessa) pela Editora Iluminuras!





Nenhum comentário:

Postar um comentário