quinta-feira, 27 de março de 2014

moietymoiety – 97





pesava o tigre albino
de prata
amansava o bicho
escovava a pelagem
subia a escada para polir os dentes do bicho
morria por segundos quando dos bigodes
descia em rastros abstratos
morta
por segundos
em rastros metálicos
uma porção
abstrata
um tanto azul
pesando nada









(série do larCavoDica a ser postada também aqui)








¬¬¬






inda a sangria:

Escritoras Suicidas - edição 46






...


T.

totem:

um cavalo está parado diante das minhas mãos
e não posso:
estou pelada

uma criança me vê pelada
e não posso:
estou imaculada
sou invisível

escorrego e me espatifo toda no chão de cimento cru
estou lá
pelada e me sinto terrível
uma megera
o chão é cru! o chão é cru! e eu não me caramujo nem um tanto.

...





Ai, o meu Estado... aqui um trecho e todo-todo junto aos tantos lindos pulsos na edição 46 do Escritoras Suicidas!


Mariza, Silvana, meninas!, beijo vossos cocurutos!



Nenhum comentário:

Postar um comentário