terça-feira, 30 de abril de 2013

moietymoiety – 45






desperta-me uma metade
depois a outra metade
a metade que desperta antes tem o privilégio da saudade
sente tanto a falta
e o mundo começa a tremer











(série do larCavoDica a ser postada também aqui)





moietymoiety – 44





when I kiss myself
oh, when I kiss myself
I look like two worlds of elastic
with giraffes by half
in the middle
in the middle













(série do larCavoDica a ser postada também aqui)





moietymoiety – 43











(série do larCavoDica a ser postada também aqui)





segunda-feira, 29 de abril de 2013

moietymoiety – 42






tombar morta
assassinada com um tiro ao centro
previamente reservado ao fim
que me traz, novamente, às metades do absurdo cotidiano
de ser









(série do larCavoDica a ser postada também aqui)




sexta-feira, 26 de abril de 2013

moietymoiety – 41





chego a confundir uma das metades com a outra ou com um navio das cargas dela.










(série do larCavoDica a ser postada também aqui)




quinta-feira, 25 de abril de 2013

moietymoiety – 40






essa luz
e uma metade desvaloriza a outra
pelo risco e contração entre dois muros.
a partida tem início.








(série do larCavoDica a ser postada também aqui)




quarta-feira, 24 de abril de 2013

moietymoiety – 39






um violão enorme toca sua metade, essas coisas que pelo meio caem ao outro, pulcras impostoras.










(série do larCavoDica a ser postada também aqui)




moietymoiety – 38






part of me is the immigrant of the other part.










(série do larCavoDica a ser postada também aqui)




sábado, 20 de abril de 2013

terça-feira, 16 de abril de 2013

moietymoiety – 35






asilo
meu corpo continua sendo
pela metade
eu não
agora sou o jogo
estou em sangria e em desembaraço das vias, das veias
meu corpo continua sendo
outra a metade
não
agora sou o jogo
brutalmente me faço sobre a mesa
desarranjo toda a bagunça
sou o jogo
dois pinos, dois dados e umas letras
sou o jogo
podemos começar
anote as regras que são
o logradouro do meu amor é
toda via
agora você é o meu lema
você é
e eu sou
brutalmente levada a crer








(série do larCavoDica a ser postada também aqui)




moietymoiety – 34










 (série do larCavoDica a ser postada também aqui)




moietymoiety – 33




every little girl
like us
has a greater half
and half lies
beyond the major lips
beyond
the girl
besides
like us
the other girl
and a half









(série do larCavoDica a ser postada também aqui)



moietymoiety – 32






being conscious can rip the last coincidence that unite us.
bite me or deceive me now.









(série do larCavoDica a ser postada também aqui)



quarta-feira, 10 de abril de 2013

Nichos/ PetNicho XXXVII









a garra cresce

estende o pavor

para cima

arrasta a consequência

a garra cresce

a língua encomprida-se 


em idiomas

estica a palavra para cima

em ligeira curva

trazendo o saldo, a sequela, a náusea





domingo, 7 de abril de 2013

Raul Macedo / teu rosto é um santuário – 5







vou cheirar o teu cabelo

respiro umas tuas estações na concha da tua mão esquerda

te digo que o tempo é uma burrice que inventaram

para que não criássemos histórias e vínculos com pássaros dentro

por exemplo, Raul

estou gravada num gesto teu

com que tempo eu não estaria?











§§









(mas não gosto de falar assim, "o autor". o Raul será sempre meu Musinho, meu menino, nosso menino, um lindo homem, artista, filho, irmão, amigo, sobretudo, meu Musinho!)





sexta-feira, 5 de abril de 2013

MÚSICA PARA O ORIXÁ/ Exu















cantar a roda
Exu
agbará
agbará
cantar as linhas de cantar


e se eu me perdesse numa encruzilhada?
viria a ser tua alegoria?
iria com teu pescoço cantar, apregoar?


ai, deixa-me cantar


cantar a roda
cantar a casa
cantar os quatro caminhos deste lugar
como membros deste ou deste
corpo de notas do ar
cantar Exu

cantar


SÃO DE DIZER DOS HOMENS
MAIS
MAIS
SÃO DE DIZER SOBRE RASTEJANTES UNS


guarda
virei cantar


POBRE O DESEJO DE INUTILIZADAS ASAS
AS ESQUINAS QUE TEIMA DOBRAR


canta a Orun
canta a Aiye
vingarei cantar


AH, CAVEIRA
ESSA TUA SOCIEDADE COM O FALO
PASMAM-ME OS SEIOS
O QUINHÃO DENTÁRIO
A CABAÇA
DE SUANDO SEMEAR


guarda
Exu
agbará
agbará
cantar a roda


IREI ERRAR
DEVO ACERTAR












quinta-feira, 4 de abril de 2013

moietymoiety – 31






se tirassem a chuva da boca da minha honra, quem disse que meio mais meio pasto eu não rezava?








(série do larCavoDica a ser postada também aqui)



quarta-feira, 3 de abril de 2013

moietymoiety – 30






half and half
and another half
in dishonor of the geometry
I will not survive to the cause.












(série do larCavoDica a ser postada também aqui)






moietymoiety – 29




ele leva uma colher quando nada no mar.
e volta com a colher vazia e eu me sinto tão indefesa.
ele me azucrina e ir embora já é metade do caminho para a cozinha.






(série do larCavoDica a ser postada também aqui)





moietymoiety – 28






half was not at the end
half was not in time
half never was adequation







(série do larCavoDica a ser postada também aqui)



terça-feira, 2 de abril de 2013

moietymoiety – 27




as fotografias desbotadas.
os vasos com as avencas estarão inundados.
se meus meios não encontram os teus.
se estar inteira não faz-me ao sentido correto da calçada que me levará até a tua mão, a mais pesada.








(série do larCavoDica a ser postada também aqui)