quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

PELICULARES/ Nichos to Blow up on – 8



Um curta sem externas, sem internas, para Nostalghia de Andrei Tarkovsky. 






o pão, o espelho
e o comportamento da goteira
sobre a imensidão na teia da aranha que não;
seus ovos, seus ovos e as meninas de dentro.

tudo o que a música d’água pode afinar. 


a vida é partitura de pássaros.
é um baque na manteiga e pode compulsar.

todas as águas são naves de luz.

eu sou egoísta.
tu és egocêntrico.
e nós somos só nós.

nossa massa, como um todo, é pão
e é espelho
e é o pão do espelho
tomado da faca.

estaremos bem se eu te disser que me confundes?

quando mastigas, mastigas
mastigas, mastigas.
/tua saliva me erra/

Santa Catarina;
Santa Eugenia;
acudam-me: há uma cortina e não há nada entre.
somos eu
a chuva
inda nada entre.
oh, acudam-me já. 


súbito:
acudir-se é acudir à nostalgia dum todo ângulo.
veja:
alguém pede fogo
e dão-lhe água: 



homesickness: DOENTE DE TODA A SAUDADE DA CASA QUE O OLHO QUE FICA VELA.

saudade: COISA QUE SAMBA AOS PUNHOS E CANDELA AO TÓRAX.

Ностальгия: STORDITA VONTADE DE CHEGAR DONDE SE FOI, ERA, UMA ERA. E COM NEVE SOBE O QUE VELA.

nostalgia: VOLONTA INSOLUBILE, CHE NON CANDELA PIÙ.


COME TI CHIAMI?
ANGELA.
ESTÁS CONTENTE COM A VIDA?
SIM.
BRAVA RAGAZZA, QUE O COMPORTAMENTO DA GOTEIRA SOBRE A TEIA É NOSTALGIA COM PULSO E TEXTURA DE CORAÇÃO. VÊ? BRAVA RAGAZZA.





FIM COM FINALIDADE ANTERIOR À TEIA.
EU TE AMO. EU TE AMO. EU TE AMO. 
EU, QUE TE AMO, NÃO DEVO TRISSAR.







§§§







Um comentário: