quinta-feira, 28 de junho de 2012

PELICULARES/ Nichos to Blow up on – 3


        Para PIAF (2008), para o Diretor do filme, Olivier Dahan, e, especiealmente, para Marion Cotillard, com tantotantotanto amor.














SAINTE THÉRÈSE, MON PETIT JÉSUS, NE M'ABANDONNE PAS. DONNE-MOI LA FORCE. JE VEUX VIVRE ENCORE. FAIS-MOI RESSUSCITER!*






Do embaçado nos vidros, monóculos, janelas e escotilhas (porcas escotilhas minhas)
meus olhos, Jesus Cristinho, no embaçado destes olhos,
Santa Teresinha da Patifaria Normandia
Eu e
uma aranha de arame em longas e cerradas pernas
em tudo o que eu canto
a tudo o que eu conto, Milorde!
(minhas juntas aos fios de ferro)
Edith é uma lira na chuva!
Soa-me tão bem.
Bem, já no circo encantava a Santa Teresinha o cuspidor de fogos.
Bem, no circo encantava a Jesus Cristinho os fogos em mim.
Sobre a prostituída e rochosa Paris, eu, olhinhos-de-gude
le môme de le cloche
        SI JE CHANTE SEULE, ÇA FAIT MENDIGOTE. AVEC TOI, ÇA FAIT SPECTACLE.**

eu, olhinhos-de-gude em meu para sempre tricôt aos fios da ferrugem nas gentes.
      e não, não me arrependem Titine, todas as bolhas nas taças todas, e a ressurreição das rãs
      (pequeníssimos inícios de santices, Momone)
      arrogante paradoxo a salvar-me da modéstia, Santa Teresinha do menino Jesus e alguma nova paixão
      desaparecendo junto ao desparecer dos lustres ao feixe morfina.

Peço perdão, um acróbata perdão, um de rua
esse por contar com agulhas nessas mãos que cantam, cheias de boca: EDITH É UMA LIRA! EDITH É UMA LIRA NA CHUVA DE RÃS.



  *Uma Edith Piaf.            
**Uma Edith de rua.











E olha só uns meus NICHOS inda lá na Revista Mallarmargens!

Sem falar (folear) nas minhas bostagens e nas dos cu-legaslá no POESIA:FARSIDADEIDEOLÒGICA (NINIces de Pélucia Barata, ou seja, ótica! Passalá, Lana! Finca lá tua banana.)
 

quarta-feira, 20 de junho de 2012

игрушки/ Soldados.Pedras.Massa de Farinha.Barro.Pano. - 2






      

Só a última matrioskinha sabia do largo nada para o fundo interior.

Inda isso bastava às outras camadas em ser

de guardar à fé.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

PELICULARES/ Nichos to Blow up on – 2




Para 
THINGS YOU CAN TELL JUST BY LOOKING AT HER (2000), e para o Diretor do filme, Rodrigo Garcia*, com tanto amor.






Os sapatos, o passarinho, o tarô.
Até um cego sê capaz
de ver:
   Olha. Olhe para ela e diga-me você. Diga-me você sobre inda sob a pele, o vestido dela:
   uma mendiga descansando sob a árvore anã ilustrada, uma menina a cuidar doutra com historietas duma borboleta, fantasias, um anão, abortar ao Dia, cancelar promessas noturnas, dedilhar em braile, a mesma melopeia;

   os sapatos, o passarinho, os brincos da tua mãe.

   Até um livro infantil é capaz de sombrear, às curvas, coisas.
   Coisas que você poderia dizer só de olhar para ela.

Ela que caminha. Como antes, caminha.
Mais um instante, umas tranças apenas. Um todo glossário em andar e você, que poderia dizer.





*Rodrigo Garcia é filho de Gabriel Garcia Marques.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Nichos/ PetNicho XXV





acendo inda apago.
guardo senão ao que desnudo para guardar, especificamente.
uma vez que me coloco em noturnos movimentos, me confundo com um mundo inteiro de madeira e cobre, meu e meio mole, um que desacertado do vermelho todo, corrido, desprovido, caga-lumeado.
fossem convertidas em duas ou meia dúzia, minhas vidas teriam corpos de esperança, seriam lamparinas de saber-me a que. 
fossem alongadas em tranças da crina duma égua só, eu mais eu, não sobraríamos e minha morte não ecoaria tamanho tanto.
acendo. inda apago. inda que.




quinta-feira, 7 de junho de 2012

Nichos/ AquaPlay – 9




   A mãe, categoricamente, não concorda. Foi o pai quem deu a idéia. A bisa anda a morrer de rir. Os filhos acham que pode ser bem divertido, exceto a caçula que ainda não tem altura. A tia acha que pode ser relaxante. E a bisa ri. Fabrício, o sobrinho engenheiro, diz que não se importa, pra ele tanto faz, ‘Uai, o que ocês decidirem, pra mim tá bão, sô’. A mãe começa a malear a idéia, porém, impondo a condição. A bisa ri. Dorinha, dos cinco correligionários, a mais velha, se pergunta por onde a água irá sem a via apropriada. A mãe propõe a boca. A bisa ri e Dorinha diz que será como vomição, um nojo.
   Por fim, todos concordam em instalar o chafariz no jardim detrás da chácara da mineira família Pinto, ‘mas sem o cupidinho com a mão no trem’.
   Fabrício tá nem aí.
   E a bisa ri. 


          


sábado, 2 de junho de 2012

PELICULARES/ Nichos to Blow up on – 1









“Carers and donors have achieved so much. That said we aren’t machines.”
Said Kathy H. (Carey Mulligan)
  



Stand up behind the fence.
(It’s your new road, briefly, your unlocked mirror. You know.)
Blow your dimension to, beyond the fence, by through the reflection of.
(Who are you there? Do your kinglike knowing. You’ll see, you know.)
Drag above your appropriate tears only.
There is a possible drop for each one.

But you already know, don’t you?
Meanings, movements, imitating the slow jiggle of the brushwood, not doing the wind, not at all, knowing by your lungs: your original work, the original fence, the mirror, those will do those dancings at The Gallery and The Gallery would be trying to form a violinist into a little horse into a violinist into an sculptor into an sculpture into a draw of a soul, so hard to get it through.
By generalizing your goodbyes, you’ll be so not safe, but,
to get a deferral, to know there is an elephant and not a rat,
you, and just you, must scream
NEVER LET ME KNOW NEVER LET ME KNOW NEVER EVER LET ME GO BY KNOWLEDGE OR SOUL.
That deferral is right here, on your beautifulbeautiful body.
It is possible (such a pretty word, POSSIBLEPOSSIBLE) that none of this will make any sense, since, not even verifiable love can save you a couple of steps, a dual of words, parallel lines to.
Also possible seeing you, at the fence, asking “Who’d make up stories as horrible as that?”*

So,
Stand up behind the clothes line.
(It’s your briefly dress, you, appendix of your own mirror. You know.)
Blow your eyelashes on, they are those fences of.
(Who should care you now? Do you know this fake little horse? It is a toy? You’ll see, your soul will share it to your body fences.)
Sing down your generalizing tears, only.
There is a possible donor, a potencial carer, I meant, a boat, dead whales, you know, frames left-off on the sandy.
You’re a doll, you know. You are such a knower one!
But, you already know, so, could you, please, scream for me. Would you?
NEVER LET ME KNOW NEVER LET ME FLOW NEVER EVER LET ME GO BY KNOWLEDGE OR SOUL DO NEVER LET ME SO. 


*Said Ruth (Keira Knightley)



Nichos/ Descalçar o que?


   

PENSO
Vou dizer! É agora!
E DIGO
E PISCAS VIRANDO OS OLHINHOS
Mimi!?
CONTINUO
É tão lindo o feio coelhinho decalcado na parede decalscada!
SILENCIAS O ROSTO E PERNAS E
Mimi?!
E VOU, DE SATURÁVEL SORRISINHO, VOU
Preferia como enfeite no teu cabelo, na saudade, nas idéias de ter-nos nos almoços de Domingo, a cada pimentão recheado, a charutada do Nandinho, então mingau...
RETRUCAS CATUCANDO A UNHA DO DEDINHO DO PÉ
É, Mimi. É.
SUSPIRO, QUASE ROXA DUM ROXO SAUDOSISTA, SABES?
Ai, ai! Queria ter orelhinhas cor-de-rosa. Você, não?
CONGELAS NUM GESTO DE ABARCAMENTO E SIGO
Andam dizendo que o cor-de-rosa é o novo Black. Mas as pessoas falam que falam, não?