quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

PISCA-PISCAORACULAR/ orbes-de-artifício – 11













ser cabide, cartola
voltar às bicicletas daquela vez, àqueles olhos
voltar pelas arestas dos caracóis, indo noites a cruzar as mangas e a gola da menina de óculos.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

PARLATÓRIO/ A Escultura, O Escultor – encomenda n°5



I poeti lavorano di notte
quando il tempo non urge su di loro,
quando tace il rumore della folla
e termina il linciaggio delle ore.
Alda Merini       



Um haver de rochas mais calmas.
Há também das escrituras debatendo-se, bem antes do lápis, nas nervuras da celulose, há dos poemas que nascem e morrem nas tesourinhas das traças.
Dizer que o escultor é o tradutor da pedra... Quando aqui instalei do Tempo, Aldo,
 a certeza era inscrição e musgo de me saber.

PISCAORACULAR/ DESSES NICHOS TEUS – 14



E se eu berro
VELHO TARADO NARIGUDO COM BENGALA EM PUNHO!
ou
MATUTA TETUDA MASCANDO GRAMA!
a coisa não vinga conforme.




PISCA-PISCAORACULAR/ orbes-de-artifício – 10




Ditosa idade e afortunados séculos aqueles, a que os antigos puseram o nome de dourados, não porque nesses tempos o ouro (que nesta idade de ferro tanto se estima) se alcançasse sem fadiga alguma, mas sim porque então se ignoravam as palavras teu e meu. 
  Miguel de Cervantes        



O vento sempre a maquinar, a tombar o mundo, a remoer velhas idéias.
Dom Quixote ontem, Dom Quixote hoje em dia
 e a plena noite movida aos sopros de outra página, de mais um tempo temido a dia.







PISCA-PISCAORACULAR/ orbes-de-artifício – 9




  Ai de nós, peixinhos que fisgam, coração!





              





You fit into me
like a hook into an eye

a fish hook
an open eye 

        Margaret Atwood

sábado, 21 de janeiro de 2012

REZADONICHOPESCADÔ/ Repartições



                


Ai, terrível vendedorinha de pentes e espelhos e grampos para cabelos!
Ai, pegar-te e grampear-te à proa feito carranca azarenta, teu cabelo solto aos pés e os pés a cortejar sardinhas, algas, a repartir o mar!
Ai, criancinha,
    ai que tantas são as sardinhas, todas são as algas a te esperar!



Nichos/ Estampas Para Sê-los - Lambida n°6







amor e amor,
envio-te depressa e tão
maçãs, maçãs, maçãs
das frutas, teu protegido pão
que da espera da mandíbula, querida
tudo o que é saudade
ao teu toque já formiga.