domingo, 30 de dezembro de 2012

PELICULARES/ Nichos to Blow up on – 6



Para Hedgehog in the fog de Yuri Norstein. Para Yuri Norstein.





seu corpo espetado
para cada ano de domingo de ramos
(?)
ria assim
(?)
/agora ele havia se decidido pela purificação
digo
a porta propriamente dita/
iria agora
à fonte das cataratas
digo
filhote de urso sob os olhos de quem não vê
ou seja
à fonte das cataratas
em estado de sino, levava geleia
também para os perigos que, claramente, sem tenebrosas dúvidas, jaziam sombras imensas que lhe perseguiam
tudo o que tinha a fazer era ir e foi
(?)
ria
e eram estrelas e ecos delas e corujas inatas aos ecos estelares, uma loucura que só vendo
(?)-(?)
ria
tinha hora de rir e hora de rir pausando
(?)-(?)
colocar a minha dor aos abraços do amigo
na boca de língua
na língua do chá
coisa de quem se faria a chorar comigo
jogaremos raminhos de junípero na fogueira
não queremos ficar gripados e é cicatrizante
e ando e ando e estrelas, ecos e vê-las
em estado de sino então
névoa, tanta névoa
(?)
/somente uma cavala desta cor-de-névoa conseguiria segurar o lápis, o lápis/
estrelas e ecos delas e folhas-corujas
acordes estelares, uma loucura que nem vendo 
a chaminé que ainda se via
colocar a minha dor
a boca de língua
a língua de se fazer era ir e foi
ser lesma é não trair-se a si mesma 
não trair um lápis ao outro; o lápis
neste lápis, em estado de sino,
a porta, bem como morcegos e
para cada um, um
pirilampos avistava-se ainda a chaminé
pirilampos?
bolinhas de luzes
e te chamam
inda te gritam
YUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUURIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII
tadinho, mal dez passinhos além do círculo em torno de ser ouriço que era, comeu um tanto da geleia de framboesa lambuzando-se de forma que
Yuri
e tanto que te chamei! 
chega o urso
que dali nem saíra
mariposonas ou pirilampos, Yuri?
ora, entre, está frio, vamos tomar um chá e comer desta geleia
YUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUURIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII
tire esse lápis da boca, parece um bicho! eu hein, nunca vi!

e eram estrelas e ecos delas e bichos inatos, 
uma loucura que só vendo e se via
ainda se via a névoa da chaminé, bem ali






Um comentário: