sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

GnosiS/ Sinais do Quê – 10










cada procura
volta e vai
e ver
que na memória deste gesto
/deste aqui/
há da cal e dos tijolos usados na mesma parede
onde a hera

sim

é dessa miudeza
sem precaução

estender o braço a um menininho
perguntar; 

podes vir aqui um minuto?
pois que desejo da tua calma
podes vir aqui um segundo?
por favor,
queira salvar minha vida, por favor?



2 comentários:

  1. Tua poesia me traz paisagens, pedaços, fragmentos internos e externos. Eu não sinto uma ordem em seus versos e sim uma liberdade que encontramos no pensamento (uma lembrança, uma criação que liga a outra sem qualquer ligação).

    ResponderExcluir