domingo, 2 de dezembro de 2012

cabaças/ como explica o que dança em Pina – 2




estou nessa estrada
onde tudo é escuro
fundo marinho fundo
sei meus cabelos correndo contra
sei dum caos no mais íntimo da cadência
sei do Tango em Orion
dando à luz à ordem dos trens no oriente

estou quase ao fim dessa estrada
onde tudo é terra e nada
Terra e nada
e nada sei do sonambulismo nas coisas
e nada sei do que dorme ao açucareiro
assim
assim sendo
sendo que sei do Fado em Orion
dando alguma luz à ordem que não minha 

sei do Flamenco em Orion
fazendo inverno, primavera
tramando outono, inverno
testando, legando verões à nuca
essa
essa que não sabe meus cabelos correndo contra
sei
do inverno
do Samba
sei do Samba em Orion
piscando-me a luz
e nada sei do sonambulismo nos garfos
meu cabelo
estou
quase ao início dessa estrada escura
uma mão se vai à cintura
quero saber das xícaras
e dos botequins










Um comentário: