sexta-feira, 19 de outubro de 2012

NONINA, ESSE MEU ESTADO, ESSA MINHA CIDADE - civilização





éramos habitantes
significaremos
sobre o todo da minha cidade
lugarejo sem tempos que somos
e eu
que estivera sempre rolando as penas por aí
via agora a multiplicação de meus ossos
as pilastras
às pilastras
ai, essa minha cidade

tudo o que fomos
um dia
fundir-se-á
com o que é preciso:
hoje indo amanhã
ser vívido e sustentável

e havia tanto de vidro. ainda haverá.
ainda que neste estado. multiplicado.



  /fêmeas
   de vezes desentendidas em tanto ser
   sou da minha cidade
   neste meu estado
   duas medidas que o dia faz
   ou um só tardar da noite
   molusco
   corpo de escuridão/




Nenhum comentário:

Postar um comentário