sexta-feira, 31 de agosto de 2012

GnosiS/ Sinais do Quê – 6




tediosa a cidade que crio quando saio
e nunca suficientes as folhas
não me conformam seus sinais
igrejas e santos
não me reconfortam as rezas dos automóveis
suas horas e pedaços de caminhos
não me regozijam os códigos das aves
a mim, não dizem
e mesmo às vezes, não me atormentam as poças de sangue
nem o ar, acidentado
nem todo o ambiente falido à cinza
nem a vitrinologia e nem as crianças amarelentas,
os hidrantes, os muros ladrilhados ou os pichados a signos que não me compreendem.
gosto mesmo é de cria-la
assim, sem gosta-la, besta, inatingível,
anódina, flácida, terrena e minha, a cidade.









 







2 comentários:

  1. onde há jujubas há de haver um bocado de gente colorida:)

    beijoss

    ResponderExcluir
  2. Não sei mais o que dizer da tua escrita,
    quero apenas ler.

    ResponderExcluir