terça-feira, 3 de julho de 2012

PARLATÓRIO/ A Escultura, O Escultor – encomenda n°14



 
E SE EU FICASSE ETERNA?  
DEMONSTRÁVEL  
AXIOMA DE PEDRA.  
                                                   
                                                                    Hilda Hilst    




As histórias desta estátua são todas minhas, nem um arco de menos que minhas. Minhas. Aldos deste.
E umas poucas vitórias, e o mesmo com os dentes, um nada de asas na corcunda clemente, tranças, tranças, mais tranças avessas, cascos a tudo o que acarinha inda do mais profundo, esse oco duradouro abraçado da pedra-sabão.
Aldos, deste aqui, atraso de trotes doutras idas.
















Um comentário:

  1. Cavalinho tão bonito, que parece uma idiota, ai, de cavalinho, aiaiai, corre corre cavalinho, pro Goiás pro Goiás-inho. Upa upa cavalinho!

    ResponderExcluir