terça-feira, 29 de maio de 2012

PARLATÓRIO/ A Escultura, O Escultor – encomenda n°13


Ai, do quando a chuva no rosto dessa estátua, caindo o queixo, as mãos, de como a água, todas as babas lavam a minha pasma do que dizem ao dizerem VIU-SE UMA ESTÁTUA VIU-SE A TODAS desde que, viu-se a um passante, viu-se a cada: cada um com cara do taxo moldado às águas de minhas estátuas em cada uma de suas demoníacas ou angelicais estadas.
Cópias das noites com chuvas do centro velho de São Paulo. Pessoas. Pessoas: Aguadas cópias do que.







2 comentários: