sexta-feira, 18 de maio de 2012

CaiXas/ formatando nichos – V




 

Lamparinas de todos os Tipos e Formas inda reformas.
   Uma, lembrando a um molar Humano ou super-Humano.
   Uma, feita a Coração de Criança febril.
   Uma como que duas, Essa com Janela camponesa a outra vizinha de camponesa Janela, ambas, metade Acortinadas (como que se as Pessoinhas de Dentro dos fogos, esperassem, desesperadamente, por uma nevasca redentora) inda unidas pelo cobre do Fingido pequenino Silo donde nascia o pavio como esticando-se em dois e partindo dum Tonelzinho falseado a Casinha de Cartas, cheio do sufocante querosene que iluminava, quase lindamente, as Janelinhas de Vidas usurpadas. Uma graça.
   Uma, dita Masmorra atemporal, pois que tinha dum Estilo que ia do Barroco ao Vitoriano, passando ainda por duvidosa Dinastia Chinesa com um pobre Indiano aos pés da coisa feita de pecinhas de brinquedo de montar.
   Uma, simplesinha. Uma Chama entre quatro Idênticos vitrais Católicos. De cada Lado a Chama fazia o Sagrado Coração de Jesus com seus dois sôfregos dedinhos sobre, parecer a potro agonizando sob um chorão, digo, a árvore. Horrível e de tão, estrema. Absurdamente estrema.
   — (Mas para que a Luz? Luz para o quê? Fechando Cortinas, cessando interruptores e candelabros, cerrando Olhos, puxando longamente o lençol aos estúpidos Rostos, pois se de tanto, se de tudo, temos da Santa escuridão (Abençoada Esposa do Silêncio) dita Rum ou Grapa em Tacinhas de Bordas manchadas na cicuta, não? Odeio-te tanto, querido. Amo-te todo, Ernesto Marrion Neto. Odeio-te) — Se é assim, querido... Gosto tanto da com os quatro Jesuses. Esta está bem para mim e deve ornar, perfeitamente Sacra, ao nosso Quarto de Dormir. Leve esta, está bem, Ernesto? Peça para que não a Embrulhem. Levo-a Acesa.



                              




Um comentário:

  1. Magnifico, meditativo, redentor e niilista...confesso não saber quais palavras usar para dizer-te algo... parabéns
    beijos

    ResponderExcluir