domingo, 1 de abril de 2012

PARLATÓRIO/ A Escultura, O Escultor – encomenda n°11



ENQUANTO NÃO - II
   Estudos para feições destas partidas (quando for, Aldo, vai-se a velha Cortesã, ficam os nomes e os lençóis do quando for),( espera porém).




De viver enviesada
  a do corpo
  quer a pressa como compressa.

eu amo e o que eu amo é
de colher
fartas filhas, estampas de bicho e mais vermelhos.
amo e assisto no peito avesso
 a moela a triturar o que meus olhos sobre uns pássaros tumultuam.
eu amo e o que amo é fôlego e é corda
 inda de qual lado da muralha estaria eu
 que tanto amo?

De viver enviesada
 tenho a meu rastro
 como santo emplastro.





Nenhum comentário:

Postar um comentário