domingo, 1 de abril de 2012

CaiXas/ formatando nichos – II





Ela
e é pleno o Quimono.
Ao Meio-Dia entra a Gueixa
a Caixa de Papel.

Tão Branca quanto,
  Teatro de sombras de mariposa indo a pele antes, bem antes da seda, a seda, depois as garças em púrpura
inda Códigos de garças com raposas que escorrem em mais seda e Memória de agulhas e Memória de Tanques de anil, Tanques de vermelho e Tanques de Memória sendo garças, raposas, Tanques.
Vão os Getas erguendo biombos de transparências
posteriormente aos mudos gritos no talco e
 miniaturas de Templos Samurais pendem do cimo do penteado como que rumando a silenciosíssima e fria Guerra na Orelha ocidental.

E até que o Obi faça-se
 antepassada Arca de maquiadas Eloquências,
 será
 primavera e Outono nela.

4 comentários:

  1. Luzes de variadas cores; um caleidoscópio infiltrado na ribalta. Descem, sobem cortinas; a cena será de todos antes do meio-dia!
    Aplausos!...

    ResponderExcluir
  2. ... e o trem segue com sua maestria. Existe em cada vagão uma vida. Alegrias e prantos. O tempo marca uma passagem. Um mundo diz; - somos nós, e a hora é agora!

    ResponderExcluir
  3. Tuas palavras suscitam belas e intrigantes imagens. Gostei daqui, moça.

    ResponderExcluir