terça-feira, 3 de janeiro de 2012

REZADONICHOPESCADÔ/ Voltas Aos Montes – De Três em Três, Marias – VIII





   Maria Dorinha
Ainda a espera, seguindo barcos, arcos, ares e grãos da rebeldia nacarada aos olhos de Deus, unindo vento e cabelo, cortando e lixando o vidro do que diz-se ciência dos olhos nas voltas dum só mar.




   Maria Angina
Sequer esperança na absorta farinhada praia. Sequer areia e textura de areia. Sequer dessa confessa filha ampulhetada, filha dum amanhã ou do teu constante renascer-me morna. Sequer o porto para os olhos postos sequer.


   Maria Elinha
Voltando de um tudo levado a tanto. Que de um tudo pesa a mais do quando de um tanto na areia, seco sargaço, memória granulando hora e veja bem que águas seguem a pesar, do pouco pesa a mundos: Digo espelho e vejo anzol.

3 comentários:

  1. o que pescar?

    este em especial flui musicalmente ao olhar deste seu leitor que não pode desvendar-te
    abraços

    ResponderExcluir
  2. Marias pescadas de areias e mares... Excelentes!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Carla.
    Preciso dizer, você é mesmo uma graça.
    Um beijo da Sandra.

    ResponderExcluir