quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

A CASA DA ORDEM,DOS MODOS,DO AMOR E DA PAIXÃO – estada 4



    CAI A NOITE, COMO CAIR À NOITE.


  





JANELA DO DORMITÓRIO.
O jardineiro desenha no vidro uma cadeira de terra.


DORMITÓRIO.
Um trovão.
E se eu disser boa noite e não convir?
E se eu disser boa noite e você sumir?
E se eu disser boa noite e você sorrir?
E se eu disser boa noite e você me aplaudir?
E se eu disser boa noite e você se ferir?
E se eu disser boa noite e te trair?
E se eu disser boa noite e você me engolir?
E se eu disser boa noite e você diminuir?
E se eu disser boa noite e você se cobrir?
E se eu disser boa noite e depois fingir?
E se eu disser boa noite e você se vestir?
E se eu disser boa noite quando você partir?
E se eu disser boa noite quando nem eu sentir?
Ou, pior,
E se , bem pior, anoitecer tarde demais e
se eu não disser boa noite e se você nem advir?
Acontece.


MAUSOLÉU.
  NICHO DA MORTE, O BICHO PAPÃO.
  AQUI CHORA O AMOR, REZAM OS MODOS, REPLICA A ORDEM E DANÇA A PAIXÃO.


ESTE QUADRO Á DESPEITO DO QUADRO NO DORMITÓRIO.
Ordem – Arruaceiro.
Modos – Aquela noz é a verdadeira culpada. Foi a noz que tirou Santo Antonio do sério.
Amor – Nozes são entes sediciosos.
Paixão – Ele tem algo entre as mãos.
Amor - Aquela vaquinha esta perdida.
Modos - Ela é o demônio.
Ordem - O demônio é o porco na rampa.
Eu - Não. O demônio é a velha de bengala.
O Jardineiro - É a cabeça do celeiro.
Modos - É a bacia.
Ordem - É o homem afogado. O que o jardineiro faz no dormitório?
Amor - É o mosquito-monstro.
Paixão - Ele tem algo entre as mãos.
Ordem - O mosquito não é monstro. É um anjo relutante.
Eu - E aquilo não é um celeiro. É um restaurante rústico. Não viu o barril de rum e a bandeira com um pato?
Modos - Não é anjo, nem mosquito, nem demônio. É um dragão sem Modos que cuspiu fogo ali atrás.
Eu – Pois é. É onde assam os patos. Tudo funciona bem. É um maquinário só, tudo a um tudo bem harmônico.
Paixão - O barco é francês.
Modos – UÍ, UÍ! Vejam como a cabeça do celeiro odeia a bandeira comunista do pato. A cabeça é da Direita.
Eu – Restaurante.
Amor – ((¿) UÍ, UÍ? (¿))
Paixão - Mas que diabos ele esconde entre as mãos?
O jardineiro – Deve ser o pincel.
Ordem – É. Deve ser isso.
Todos (exceto a Paixão) – É isso.
Paixão – Ou uma foice. De fato é uma foice cega.


JANELA DA CAPELA.
O jardineiro desenha. No vidro, uma cadeira de terra.


CAPEL



Um comentário:

  1. Dormitório...
    Sem palavras...! Bela.

    As outras 'frases'..., hummm...; tipo assim: não me sustaram, mas não passaram batidas; têm sabor!

    Beijos.

    ResponderExcluir