sábado, 5 de novembro de 2011

A CASA DA ORDEM,DOS MODOS,DO AMOR E DA PAIXÃO – estada 2




    O QUE CAI À NOITE NÃO CESSA.

RELÓGIO.
Crerás num outro tempo. No vazio e no cheio das horas.
Nuns ponteiros que te acalmam os ouvidos.
Nuns segundos que adotam teus caminhos.
Saberás o ponto exato do Amor sem saudade e da saudade sem dor.
Entenderás o encanto das lágrimas, a importância da escória.
Na Ordem dos valores, acalentarás a desmemoria.
Verás uma canção de terra e cantarás a seara humana.
Domarás a Paixão convencendo-a mediana.
Será um tempo corrido num fluxo circular quase perfeito.
Um novo MecanismoRelógio será eleito.
Movido a árias, olhos e intentos.
RelógioConversor. Converterá lutas em alentos.
Transformará em aves os sofrimentos.
Relógio galopante, Relógio lento.
E perderás a noção do TEMPO, pois o teu relógio será escondido
na estreiteza de um firmamento há muito já sabido.
No peito daquele Homem que a ti se fizer rendido.
E perderás a noção do TEMPO.
E perderás a noção do TEMPO.
E perderás a noção do TEMPO.
E perderás a noção do TEMPO.
E perderás a noção do TEMPO. Ai. E perderás a noção.





JANELA DA COZINHA.
O jardineiro desenha no vidro uma cadeira de terra.





COZINHA.
Modos - Carla, Carla, Carla! Comeu de novo as próprias iscas.
Isso lá são Modos impressionistas?


BIBLIOT

2 comentários:

  1. Um tom mistico e surreal... gostei disto!!!
    perder a noção.

    abraços

    ResponderExcluir
  2. e eu que perdi a noção do tempo te lendo, tentando inutilmente captar esse ritmo, quando é dança é vertigem é a seita que propões. tudo magnífico.. e eu só vertigem.

    ResponderExcluir