quarta-feira, 12 de outubro de 2011

REZADONICHOPESCADÔ/ Voltas Aos Montes – Lya






  — talvez da nossa romãzeira, um ramo acochado da onda arranhando os joelhos e no que volto os pesados cílios ao mar, MarioMario, tenho teu barco, para mais de doze homens, MarioMarioMario, teu barco e homens presos no periscópio da mão e então espremidos no alicate dos dedos esses que uma vez te salvaram duma espinha de atum e então meticuloso ponto carmim, porta de começo ou fim, ensejo de paisagem divina, estica a preguear a retina, ah, MarioMarioMarioMeu, Deus é um ilusionista nato dado a dar de ramos aos estúpidos nós em mim.



3 comentários:

  1. Carla, que texto e imagens inigualáveis!!
    beijoss

    ResponderExcluir
  2. você joga com o surrealismo, sei lá...
    afinal é surreal, é ilusionista os teus textos, assim como Deus. Carla continuas a me inquietar, indecifravel, uma escrita que pertuba este amante das letras.

    abraços de um admirador.

    ResponderExcluir
  3. esplêndido

    Carla, agora estou aqui:

    nova silva.blogs.sapo.pt

    Saudações

    RAA

    ResponderExcluir