quarta-feira, 5 de outubro de 2011

REZADONICHOPESCADÔ/ Voltas Aos Montes – Lívia





salvando gotas ao nosso rastro na banheira ainda rendada à tua espuma
                         (ou, de memória desnuda, sentar-me junto à da janela, desenharmos, a quatro mãos, dois corações e um crânio no bafo reflexo pulsante e, sabe Deus, pentear estes cabelos teus).



2 comentários:

  1. Tudo clama um dizer, uma palavra, outra, um poema quem sabe. Nada, no entanto, desmancha a mancha, a dor. O amor se insinua e unge, e acalma e refaz as forças pra seguir.

    Um beijo

    ResponderExcluir
  2. Gosto de passar por aqui e dançar os meus olhos entre as imagens que perpassam a tua escrita.. e as imagens fotografas também...Gosto de ler-te e imaginar muito. Isto é poesia.. beleza pura
    abraços

    ResponderExcluir