terça-feira, 25 de outubro de 2011

REZADONICHOPESCADÔ/ Voltas Aos Montes – De Três em Três, Marias – IV







Maria Clara
   onda argolando onda e enquanto não, cuido dos objetos miúdos pois que é um perigo que a vida em vento a rondar estes sobranceiros seres interfira na quebra.

Maria Liz
   seguiram-me aos solavancos. digo que seguiram-me arraias desse mar de cima. seguiram-me. sopravam dos meus cabelos, elos e erros, erguiam do fundo, toda a minha calma de areia. seguiram-me da decida então da plana busca dos olhos à beira-mar, quase devagar como eu e como eu, acharam por direito que  ferrões fossem fincados à paisagem só.

Maria Izolda
   lembrou-me a vez em que fomos conhecer da agricultura mais ao interior e dizias da ventada dançando o trigal, dizias dessa nova espécie de mar, tome das ondas, dizias, tome das ondas, Zildinha, lembrou-me, lembra-me, parecendo a mim, dirias, que dessa nossa espécie de gente, o retorno há que confundir o pão.



Um comentário: