domingo, 14 de agosto de 2011

Nichos/ PetNicho XI




Da lua, as asas das formigas almejam. Não fazem mais que almejar. E almejam o nosso estoque, nosso farto formigueirão azul, baita nicho de folhinhas e tantas coisinhas. Uma gracinha que só vendo. Precisa ver! Daí que a vista é que nos possui, não a expansão. A expansão não. Daí a formiga, nicho a se pesar, como pesavam os antigos.


Um comentário: