domingo, 19 de junho de 2011

Nichos/ PetNicho II



capcioso, quase Ninja
hirto, comprimido na gana
puto, irresoluto e de novo capcioso
rente ao ódio, quase Mongol
entidade BernardoGato
caçando pistas da memória na caixa de areia, quase CaixaZen, perto do sono, tão sono que Esfinge, quase enigmático dos pixels e mais além.

3 comentários:

  1. quatro patas e duas asas, alvas como a promessa, negras como a mentira.
    quatro patas e um sinal. imenso, como a água que o ungiu; falso, como a noite que o gerou.
    quatro patas. apenas. nenhum quase é suficientemente vasto para me ensinar a ser maior. e uivo, e ladro, e grasno. os petnichos estouram a lâmpada da aparente singularidade.
    beijo capcioso, carla!
    p.s. a larinha fez-te uma homenagem tão linda quanto merecida!

    ResponderExcluir
  2. simplesmente maravilhoso, admiro a tua poesia forte, sábia e criativa, resultado uma prazer te ler.

    ResponderExcluir
  3. Rente ao ódio é como rente ao osso, sempre tem mais sabor.
    Beijos

    ResponderExcluir