terça-feira, 21 de junho de 2011

REZADONICHOPESCADÔ/ Pronome

onde morre um grande norte
o rabo dum pesqueiro azul
que escrevesse teu nome de espuma
tão querente,  festejado,
desaparecendo aos poucos
rumando a transparência do sino fúnebre na boquinha do hipocampo, esse que Deus enxágua a cada leva donde nascesse mais um norte enorme de quando dizem do teu nome.


Um comentário: