sexta-feira, 20 de maio de 2011

Nichos/ Psychonicho





Feixe dourado, feixe dourado,
o que o nicho reflete é do nicho.
E é de dentro? De onde o outro lado?
Serão atos desaparecidos, esfumaçados, sertões em conservas de garrafa.
A própria vida como nicho ou bicho.
Feixe dourado na vitrina.
É de dentro
a rolha que guarda
a fé que vaza ao feixe que doura para afora conter-te, feixe?
Lírio do nicho no olho só.
Só o olho no reflexo que espreita o arco da vida?
Acossado, o seguimento quer atravessar.

Estaremos todos presos.
No final e pelo rabo.
Todos, feixe dourado, tolos.


5 comentários:

  1. Fantástico, Carla!

    Agora sei como se sentem meu pai, minha mãe e meu irmão!

    Tudo na vida acaba em lixo ou nicho!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir