sábado, 2 de abril de 2011

Nichos/ Ovo




Calcular a clara vidência.
Dessa morte que é vida, se contenta.
E ela te toma agora em pura casca,
 rachadura da pátria morro.
Encontrou-te podre.
A fantástica coisa de fitar o ovo.
Da estrutura toda
 fica o sonho.
A primeira magnitude é ser comparado ao sono.
A segunda é a brancura calando a qualquer breu.
Não adianta mais nada.
É quando o pinto morre.
A GEMA DA OBSESSÃO
 toma a vez chocada do ovo.
Nicho, vida e morte numa casca só.

Nenhum comentário:

Postar um comentário